Lanterna de sinalização ferroviária

 

Lanterna de sinalização ferroviária era um objeto destinado à iluminação e sinalização, constituindo-se geralmente de uma armação de metal com um vidro transparente para proteger a fonte de luz.

Geralmente eram equipadas com alças ou com uma aba lateral para fixar no trem.

Na parte interna da lanterna, havia um compartimento para o combustível, geralmente querosene, com um pavio que era acesso para avisar os condutores dos trens sobre qualquer ocorrência na via.

Muitas dessas lanternas, que eram usadas pelos manobradores, foram feitas nas próprias oficinas das estradas de ferro. Algumas eram consideradas verdadeiras obras de arte pelos artesões.

 

 

Algumas lanternas tinham vidros coloridos, vermelho, amarelo e verde. E eram movimentados conforme as necessidade de informar o condutor do trem.

 

 

 

 

Algumas lanternas tinham seu foco de luz produzido por reservatório de querosene ou com chamas produzidas por carbureto.

 

 

 

História

Em meados do século XX, conduzir um trem era uma tarefa complicada: sem sinalização e com o aumento da frequência dos trens, o número de acidentes aumentavam constantemente.

Inicialmente, para tentar garantir a segurança da circulação dos trens, um agente sinalizador informava o maquinista com bandeiras coloridas, indicando as condições à frente.

As bandeiras eram exibidas num intervalo de 5 minutos, entre elas.

Primeiro a bandeira vermelha, após 5 minutos a bandeira amarela e por fim a verde, que indicava que a composição estava liberada para partir.

 

Lanternas

 

Junto com as bandeiras, as lanternas de sinalização ferroviária, também eram usadas. Os encarregados de operação da via, indicavam ao maquinista se as vias estavam livres ou ocupadas.

Com o progresso da tecnologia, porém, os sistemas eletrônicos automáticos substituíram a sinalização manual de lanternas, mas ainda obedecem aos mesmos procedimentos e sinais de quando eram operados manualmente.

 

foto museu jaçanã

Foto extraída do Facebook do museu do Jaçanã. Desde 1983, quando foi fundado, é considerado o primeiro Museu comunitário da cidade de São Paulo.
Possui um acervo de mais de 1.500 peças, sobre a história do bairro.
Vale a pena fazer um tour pelo museu do Jaçanã.

 

 

Existem três curiosidades com relação as lanternas de sinalização ferroviária:

 

– A expressão lanterninha para indicar o último colocado em um campeonato de futebol. O termo é uma referência a lanterna sinalizadora vermelha colocada nos trens, e que, sempre era fixada no último vagão para indicar o fim da composição.

 

– Foram as lanternas de sinalização manual do metrô de Nova Iorque que inspiraram o desenhista de quadrinhos Martin Nodell a criar o personagem Lanterna Verde (o primeiro, Alan Scott), junto com o roteirista Bill Finger, em 1940.

 

– Foram as lanternas ferroviárias que inspiraram os semáforos. Pois, existiam lanternas com vidros na cor verde, vermelho e amarelo.

 

Gostou do artigo?

Deixe seu comentário e compartilhe com os amigos.

 

Luci Buzo

 

 

 

 

Veja Também:

Acessórios para vinho

Maçarico a querosene

Ferro a carvão

Medalha World Korean Festival

Receba as novidades por Email

No spam guarantee.

I agree to have my personal information transfered to MailChimp ( more information )

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: