Ferro de passar roupas a carvão

 

Engana-se, aqueles que acreditam que o ferro de passar roupas a carvão é um utensílio doméstico em desuso. Muitas casas, ainda não têm acesso a rede de energia elétrica, e seus moradores são obrigados a seguir a antiga tradição de passar e engomar as roupas com ferro a carvão.

Esses utensílios ainda são fabricados em ferro fundido ou em alumínio fundido com cabo de madeira.

O ferro de passar roupas em alumínio fundido não ganhou a preferência dos consumidores e são vendidos apenas para decoração de ambiente. O alumínio troca de calor com o ar muito rápido, sendo necessário abastecer de carvão em brasa mais vezes que o de ferro fundido, que tem a propriedade de conservar o calor.

O processo de funcionamento é simples, coloca-se carvão em brasa no corpo oco do ferro, e ao aquecer a base, ele está pronto para usar.

Geralmente o carvão era retirado de fogões a lenha ou lareiras. Ao colocar no corpo do ferro, fechava-se a tampa e prendia com um gancho. O ferro tem buracos na parte de baixo ou na parte de cima, para a circulação do ar dentro do ferro, que mantem o carvão aceso.

 

História do ferro de passar roupas a carvão

 

imagem do acervo do museu do ferro de passar de Joinville – SC

O ferro de passar roupas a carvão é uma peça muito antiga, e começou a ser utilizadas no século XV. Os primeiros exemplares desses objetos foram usados pelos chineses, e consistia numa panela de latão onde a brasa era acondicionada, com um cabo comprido para deslizar sobre as roupas.

O formato e o sistema de colocação do carvão, não mudou muito com o decorrer do tempo. E somente em 1882, o substituto do ferro a carvão surgiu, o ferro elétrico. O americano Henry W Seely criou a patente do ferro elétrico. E em 1926, surgiu o ferro a vapor. E somente em 1950 ocorreu a nacionalização desse produto no Brasil.

O ferro elétrico demorou para ter aceitação na época do lançamento, pois a maioria das residências não dispunham de energia elétrica. Conforme a distribuição de rede elétrica foi abrangendo nas áreas urbanas, o ferro elétrico passou a ser um utensílio indispensável numa residência.

Outros tipos de ferro de passar roupas foram surgindo e aprimorados até chegarmos aos modelos atuais, os ferros a vapor.

 

E o ferro a carvão foi aposentado.

 

Acervo do Museu do ferro de passar em Joinville – Santa Catarina. Se quiser fazer um tour pelo site, acesse o Museu do ferro de passar roupas.

Você encontrará mais de 1 mil peças, originárias de todos os lugares do mundo. Provavelmente você encontrará um modelo que já tenha visto por aí. Vale a pena conhecer.

 

 

Ainda sendo utilizados por algumas pessoas, o ferro a carvão é mais usado em decoração rústica. Oxidado, pintado, ao natural, ainda é possível encontrar essas relíquias em antiquários.

 

Se gostou do artigo, dê um clique

Compartilhe com os amigos

 

Luci Buzo

 

 

 

Veja também:

 

Maçarico a querosene

O que é um samovar?

Lanterna de sinalização ferroviária

Medalha do World Korean Festival

Receba as novidades por Email

No spam guarantee.

I agree to have my personal information transfered to MailChimp ( more information )

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: